Notícias

08/Mar

2016

Má higiene bucal pode trazer complicações até mesmo para o coração

Além de um belo sorriso e de um hálito fresco, uma saúde bucal correta também pode ser grande aliada no combate aos problemas cardíacos.

Poucas pessoas ainda sabem, mas a falta de uma higiene bucal eficiente pode trazer problemas graves não apenas para dentes e gengivas, mas pode se estender para outras partes do corpo humano, como o coração. A doença em questão leva o nome de Endocardite, uma infecção que atinge parte da membrana mais interna do coração, o Endocárdio, que está em contato direto com o sangue no interior do corpo. Pela forte pressão sanguínea local, essa região é pouco protegida pelo sistema imunológico, o que também dificulta seu tratamento eficiente. 

O que provoca a Endocardite é uma bactéria denominada Streptococcus viridans, que, mesmo sem provocar danos, habita a boca do paciente. Mas, ao entrar na corrente sanguínea, pode causar diversos efeitos no sistema cardiovascular. Infecções de origem dentária estão entre as principais causas da Endocardite Infecciosa. A periodontite, por exemplo, caracterizada pela inflamação das gengivas, também pode estar associada ao desenvolvimento dessa doença cardiovascular.

Para evitar essa enfermidade, responsável por uma significativa taxa de mortalidade, os cirurgiões dentista garantem que uma boa higiene bucal é a principal recomendação para o tratamento de todos os pacientes, particularmente os de alto risco como, por exemplo, os portadores de doenças ou lesões de válvula cardíaca e cardiopatias congênitas, como o sopro no coração.

Havendo necessidade de algum tipo de intervenção odontológica, os portadores de tais doenças devem comunicar o cirurgião dentista, além de levar uma declaração do cardiologista responsável informando a necessidade de uma antibioticoterapia preventiva.

Alguns procedimentos odontológicos requerem uma profilaxia antibacteriana, ou seja, um conjunto de medidas que têm por finalidade prevenir ou atenuar as doenças, suas complicações e conseqüências. Entre os mais comuns estão os que induzem ao sangramento como, por exemplo, as manipulações invasivas (exodontias, cirurgias de implantes, tratamentos periodontais e endodônticos) e não invasivas (limpeza e colocação de aparelho ortodôntico com banda).

Sendo a ação bacteriana é um fator de risco, os pacientes devem ser incentivados a manter a saúde bucal em dia, escovando bem os dentes no mínimo três vezes ao dia, principalmente após as principais refeições, além de fazer uso do fio dental e quando indicado, de enxaguatórios bucais. As visitas periódicas ao dentista são importantes para todos, principalmente para cardiopatas, diabéticos, hipertensos e imunossuprimidos.

fonte: Colgate e CFO